quinta-feira, junho 05, 2008

A Razão da Inteligência Artificial

análise de conteúdo

Como sabem, existem uma série de ferramentas na internet que são «inteligentes», aprendendo com a utilização que fazemos delas. Exactamente o oposto do nosso primeiro-ministro, mas isso é outra conversa. Uma destas tecnologias mais conhecidas é o motor de busca do Google, cujo sucesso se deve à capacidade de aprender com as buscas de conteúdo que milhões de pessoas fazem diariamente. Aparentemente a tecnologia Google, e outras, fazem uma análise do conteúdo das coisas que procuramos e dão-nos os principais caminhos para aquilo que procuramos, sugerindo inclusive caminhos alternativos ou caminhos paralelos. É o caso da Amazon que, percebendo o vosso perfil de compra, vos sugere uma quantidade de items que muito provavelmente encaixarão no vosso perfil de utilizador.

Apesar de ter consciência disto não deixei de ficar surpreendido quando, ao verificar o link que coloquei no post anterior, o Snapshots me indicou uma série de prováveis ligações ao relatório da Autoridade da Concorrência sobre os combustíveis, que ilustro na imagem deste post. Aqui está a prova que a inteligência artificial está a atingir níveis subliminares. Se repararem bem os links relacionados com este relatório são seis: «Sócrates», «Estômago», «Autismo», «Tumor Cerebral», «Trabalho Infantil» e «Morte». Embora nenhum deles apresente uma relação directa com o relatório sobre os combustíveis (tirando talvez «Sócrates», dado que o relatório teve origem num dos seus ministros) todos eles têm uma relação subliminar com o link em causa. Vamos então usar a análise de conteúdo para perceber de que forma é que todos estes temas se ligam ao relatório:

«Sócrates» é de facto a relação mais fácil de estabelecer. O relatório é solicitado por um dos seus ministros e, lendo-o, percebe-se que os combustíveis são mais caros aqui do que em Espanha porque Sócrates insiste em praticar impostos muito acima de qualquer outro país europeu. «Sócrates» é portanto o Efeito e a Causa deste relatório (exactamente por esta ordem).

«Estômago» apresenta uma relação menos provável, mas ainda assim lógica. É preciso ter estômago para continuar a viver em Portugal depois de tudo isto. Só um povo com estômago é que aguentaria ter um governo que se interroga sobre a própria merda que provoca.

«Autismo» é uma relação óbvia. É aliás a característica de toda a governação socialista sob a égide de «Sócrates». «Orgulhosamente sós», frase proferida por um tipo com o mesmo perfil do artolas do proto-engenheiro, parece ser o posicionamento do governo socialista. Alguém se esqueceu de avisar aquela matilha que está lá para servir 10 milhões de mamíferos.

«Tumor Cerebral» apresenta a relação mais difícil de explicar neste grupinho de 6 links. Está relacionada com o Ministro da Economia. Só alguém com um tumor cerebral, cujos efeitos como se sabe é de levar as suas vítimas a incorrer em acções sem lógica aparente, é que se lembraria de pedir um relatório que demonstrasse a ganância incompetente do seu próprio governo. Enfim, foi mais um tiro no pé de Manuel Pinho, nada a que já não estejamos habituados no homem que vaticinou o fim da crise há um ano atrás.

«Trabalho Infantil» pode ser a solução subliminar deste relatório. Já que as gasolineiras não baixam os preços, já que o governo não baixa os impostos, a solução para este país poderá passar por colocar as criancinhas a trabalhar para nos ajudar a todos, como já tive oportunidade de falar aqui.

«Morte» é a solução final. Afinal de contas, e ao contrário do que diz Lili Caneças, estar morto é muito melhor do que estar vivo em Portugal, principalmente no que respeita a impostos.