segunda-feira, outubro 02, 2006

A Razão da Caça



Abriu recentemente a época da caça e os caçadores andam preocupados porque há menos bichos para caçar do que no ano passado. Existem várias razões para este fenómeno:
A primeira delas costuma designar-se por «é a caçadeira, estúpido» e está directamente relacionada com o caçador que hoje se indigna de não haver caça. Aparentemente, os caçadores não têm percepção da correlação entre a quantidade de bichos que matam e a quantidade de bichos que sobram. Aliás, a incapacidade de correlacionar seja o que fôr (um dos barómetros do nível de inteligência) é fraca junto dos caçadores. Um coelho bravo adulto consegue correlacionar mais dados que um caçador. Já a perdiz demonstra mais dificuldade nesta matéria. Mas isso não interessa nada agora.
A outra razão prende-se com o custo de vida e a deterioração das condições de trabalho que, como sabemos, têm vindo a piorar em Portugal. Os bichos portugueses não só têm a noção que a sua vida custa cada vez menos por aqui, como não têm condições para trabalhar num país que, de ano para ano, incendeia alucinadamente milhares de hectares de mata e floresta, tornando impossível a educação básica das suas crias: como ensinar uma cria a esconder-se em terreno aberto? Impossível. Rejeitando a hipótese de se tornarem alvos fáceis, os bichos têm emigrado massivamente para a vizinha Espanha onde, apesar das dificuldades da língua, vêem a sua esperança de vida aumentar drasticamente.
Finalmente, aquela que parece ser a razão estrutural para a gradual falta de caça em Portugal, temos a «Síndrome de Sócrates» (exactamente o oposto da «Síndrome de Estocolmo»). Desde que José Sócrates está no poder que o número de bichos tem vindo gradualmente a baixar. É que nem os bichinhos gostam...

1 comentário:

Ana disse...

O teu Blog ta muito giro, gostei particularmente deste... hihi