segunda-feira, maio 29, 2006

A Razão do Motor de Busca

motor de busca
Se há coisinha que diariamente acho fascinante é a quantidade de mamíferos que vem parar a este blog por mero acaso enquanto andam à procura das coisas mais aberrantes no motor de busca do Google. Mas mais fascinante que isso são os temas que estes mamíferos procuram na internet. Tiro o meu chapéu ao Google que, pelas minhas contas, está calmamente a construir a base de dados mais completa de todos os estúpidos, tarados e javardos do planeta. Graças ao Google será possível, daqui a uns anos, circunscrever estes palermas todos num local determinado e empandeirar-lhes uma tribo somali que lhes tirará quaisquer dúvidas que possam ter sobre a retractabilidade de um esfíncter.
Enquanto isso não acontece, vou partilhar convosco alguns exemplos do que tem sido procurado neste blog nas últimas 24 horas:

«Orgasmo» - um dos temas mais procurados desde que escrevi a Razão do Orgasmo. Aparentemente, os mamíferos que cá chegam à procura de orgasmo, têm uma secreta esperança de o encontrar por aqui. Deixem-me esclarecer-vos: não só não o vão ter por aqui, como duvido veementemente que, se o têm que o procurar na internet, alguma vez o venham a experienciar fora dela.

«Números de Telefone de Prostitutas da Madeira» - não será mais fácil consultar as páginas amarelas? Porque diabo terei eu no meu blog uma lista de telefones do putedo madeirense? E depois começo a pensar no gajo que fez esta busca: casado, chefe de família, gordinho e careca, numa convenção de vendas na Madeira, sózinho no hotel, e cheio de amor para dar. Em vez de telefonar ao Alberto João decide optar pelas amadoras... que amador.

«Sadismo» - um tema procurado por um brasileiro. Haverá alguma coisa mais sádica do que viver num país governado por Lula da Silva? Tenho dúvidas. E aparentemente o tipo que fez esta busca também.

«Coliseu Romano Leões» - Outro brasileiro à procura de um tema interessante. Reparem que há aqui um padrão brasileiro que implica indirectamente algum sofrimento humano. É por estas e por outras que a imagem que tenho do povo brasileiro se tem modificado lentamente à medida que vou escrevendo neste blog. E eu que os via como um povo alegre e despreocupado...

«Associar para memorizar nomes» - Mais uma vez um brasileiro. Desta feita um brasileiro com problemas de memória à procura de uma solução mnemónica que lhe resolva a sua incapacidade para se lembrar de nomes. Lamento informar-te, leitor desmemoriado, que não há solução para isso. Digo-te por experiência própria. Eu esqueço-me de um nome no momento em que estão a verbalizar a sua segunda sílaba. Sempre foi assim. E não me preocupo nada com isso.

«Bares de Alterne de Lisboa» - uma busca de um rapaz de Santarém que provavelmente está a preparar a sua visita à capital. Aparentemente ninguém explicou a este gajo que não precisa de gastar dinheiro para engatar alguém em Lisboa.

«Conversas Interessantes Sobre Mulheres» - uma busca curiosa feita por alguém de Lisboa. Pergunto-me o que será uma «conversa interessante sobre mulheres»: será sobre os seus atributos emocionais ou sobre os seus atributos físicos? Será sobre as suas proezas profissionais ou sobre as suas proezas sexuais? Não faço ideia, mas confesso que esta foi uma busca que me intrigou, por ser tão vaga.

«Plásticas aos Papos nos Olhos» - alguém em Aveiro não está satisfeito com as olheiras que ganhou ao longo da vida. Uma boa maneira de acabar com os papos nos olhos não é cirúrgica: basta deixar de usar o motor de busca diariamente. Olhar para o ecran de computador faz papos nos olhos.

«Quarentonas» - aqui está um brasileiro à procura de emoções. Este deve ser o tema mundial mais procurado na internet depois de «Sexo». Porque será?

Um dia irão estudar os temas mais procurados pela civilização humana nos motores de busca. Gastarão imenso dinheiro e tempo. Farão análises extensas e complicadas. E produzirão um relatório que concluirá que desde o Neanderthal pouco mudou, à excepção dos dinossauros. Até lá, vou-me divertindo.