quinta-feira, março 16, 2006

A Razão Intumescida

intumescida

Opar, v.intr. fazer inchar; fazer intumescer; tornar balofo. (De origem obscura)

Portugal é um país de modas onde se cumpre religiosamente aquele que considero ser um dos mais recorrentes mandamentos da nação lusa que é o de «onde mijar um português têm que mijar dois ou três».
Ultimamente temos a moda da OPA, que anda a excitar o mercado nacional das telecomunicações e da banca e a criar a falsa ilusão de que a telenovela mexicana está com uma economia vigorosa. O primeiro português a mijar foi Belmiro de Azevedo mais a sua OPA à PT; logo de seguida mijou todo o Conselho de Administração da PT com a Contra-Opa; Pais do Amaral e Pereira Coutinho passam a vida de mão agarrada à braguilha a ameaçar mijadelas, mas aparentemente a coisa não passa mesmo só disso; o último a mandar uma mijadela foi o BCP, que ontem avançou com uma OPA sobre o BPI. Pronto. Está cumprido o mandamento. Já mijaram dois ou três.
Esperando que tudo isto não seja uma vulgar «tesão de mijo» (passo a expressão) pergunto-me porque diabo estão todos histéricos a opar o país? É certo que o país é pequeno, mas opá-lo? Alguém está interessado em viver num país opado? Num país inchado? Num país intumescido? Que grandessissimo nojo, um tipo viver num país túmido. Porque diabo não vão estes gajos todos intumescer ali a Espanha? Ou aos Palops? Façam lá as Opas, e intumesçam à vontade, mas longe daqui bolas!