segunda-feira, fevereiro 06, 2006

A Razão do Tempo

tempo
Tempo. O conceito mais abstracto e mais estúpido da nossa sociedade. Uns têm falta dele. Outros gostam de o fazer. Outros ainda ocupam-no para o gastar. Há quem peça tempo; há quem tenha tempo; há quem dê tempo; há quem perca tempo; há quem o ganhe e o desperdice. Quando falamos em tempo olhamos invariavelmente para um dos pulsos, ou à nossa volta para um qualquer dispositivo que tem por função dizer-nos em que fase dele estamos. Por ele e nele corremos, por causa dele nos enervamos e perdemos a paciência, e sem ele ficamos perdidos.
A todos aqueles que vieram aqui com ou sem tempo, na esperança de gastar tempo ou de passar um tempo agradável, digo-vos apenas que não houve tempo de pensar com tempo no post de hoje. Dêem-me mais um tempo.

2 comentários:

Anónimo disse...

pense 'racionalmente': se existe o tempo zero, ou seja o momento em que as coisas acontecem, que é um momento instantaneo (em termos de tempo); então não existe passagem de tempo. Não há tempo transcorrido (não há passado nem futuro), só um constante momento instantaneo (presente) que encerra dentro dele todos os infinitos momentos instantaneos que ocorrem. Isso pois, conforme a matemática, zero somado a zero (mesmo que infinitamente) resulta em zero, e como todos os fenomenos ocorrem em infimos momentos instantaneos não temos um segundo após o outro no desenvolver da passagem do tempo, mas sim zero segundo após o outro. Sendo assim, o tempo não se desenrola como nos parece acontecer; e se nossa existencia é baseada em espaço-tempo, nossa existencia é questionavel em termos matemáticos, lógicos,..., racionais.

Yaro Gabriel disse...

www1105


fitflops clearance
nike huarache
manolo blahnik
jordan shoes
red bottom shoes
ralph lauren polo
nike shoes
adidas clothing
off white jordan
champion clothing