quarta-feira, junho 01, 2005

A Razão Fronteiriça

fronteirica

Em Paris e nos seus arredores vivem 15 milhões de pessoas: um Portugal e meio numa única cidade. Somos pequeninos, é um facto (embora ocupemos muito espaço) No entanto, embora pequenos, a frase «small is beautifull» não se aplica à nossa realidade. Na verdade, quando aplicada a nós, poderíamos dizer que «small is painfull». Esta moínha constante de ser português começa a enervar-me de sobremaneira. Daí que me tenha lembrado de uma solução rápida para solucionar a crise e o déficit.
Uma vez que o Estado quer que sejam os cidadãos portugueses a pagar pela sua incompetência e ineficiência, sugiro que uma destas noites, quem não trabalhe para o Estado, faça as suas malinhas e atravesse a fronteira. Ficariam aqui os governantes e os funcionários públicos. Os restantes 8 milhões de portugueses iriam viver para outro país da Europa. Como existem 22 países da CE em melhor situação que nós, a dificuldade seria escolher.
A partir dessa noite Portugal assumiria aquilo que na realidade é: um país de disfunção pública.
Quem alinhar ponha a mão no ar.